A provincia Granma, sede das atividades pelo dia 8 de março

A incorporação de 59.400 de jovens à Federação de Mulheres Cubanas (FMC), o funcionamento das organizações de base, bem como o trabalho desenvolvido pelas casas de Orientação à Mulher e a Família, foram alguns dos resultados no processo político 56 Anos: Conquistando o Futuro.

Igualmente, como saudação ao 8 de março, Dia Internacional da Mulher, acordou-se outorgar a condição de vanguarda à província de Granma, sede das atividades centrais, informou o secretariado nacional da FMC.

Os territórios de Ciego de Ávila, Sancti Spíritus, Matanzas e o município especial Isla da Juventud também foram destacados e foi reconhecido Guantánamo pelo trabalho feito no processo de recuperação, após a passagem do furacão Matthew.

As províncias selecionadas destacam-se pela participação das mulheres nos principais setores dos serviços e produtivos, a contribuição dos resultados no Programa Materno Infantil, as atividades comunitárias e em ações de prevenção e atenção social.

Não obstante, o secretariado nacional reconheceu os desafios que enfrenta a organização para continuar estimulando a capacidade transformadora das mulheres no desenvolvimento econômico, político e social do país e reiterou a lealdade da FMC ao legado dos heróis da Revolução, a Fidel e a Raúl.

 

Fonte - Jornal Granma

 

 

 

 

 

 

Montevidéu, 21 - Cuba está disposta a seguir ajudando os povos do mundo, ratificou nesta capital o membro da Direção Nacional dos Comités de Defesa da Revolução (CDR), Yunies Romero.

Ao intervir ontem à noite num ato organizado pela Comissão Nacional de Organizações Sociais de Uruguai (Conosur), o jovem dirigente referiu-se às tarefas que desenvolvem os CDR e o que têm significado para a Revolução cubana nos seus quase 60 anos da sua criação.

Esta organização, considerada a maior do país com oito milhões de filiados maiores de 14 anos, tem missões importantes a cumprir e a fundamental, apontou, 'é cuidar por sempre a Revolução'.

Romero narrou que durante uma entrevista com uma rádio local, perguntaram-lhe como era Cuba sem Fidel Castro, e respondeu que 'Cuba hoje sem Fidel segue sendo Cuba porque as idéias e o legado do Comandante seguem presentes em cada cubano'.

Dizer 'Eu sou Fidel', é continuar com a herança patriótica e exemplo deixado pelo líder histórico da Revolução cubana, e isso, disse, é o compromisso que têm hoje a imensa maioria dos jovens cubanos.

 

Nações Unidas, 14 fev - Cuba advogou no Conselho de Segurança da ONU por uma resposta multilateral e marcada ao fenómeno do terrorismo, que se afaste das acções unilaterais e os duplos critérios.

Num debate aberto do órgão de 15 membros sobre as ameaças terroristas à infra-estrutura vital, a representante permanente cubana ante as Nações Unidas, Anayansi Rodríguez, precisou que Havana defende a adopção de uma convenção geral sobre o flagelo e a convocação a uma conferência mundial que promova esse tipo de respostas.

'Recusamos e condenamos os duplos critérios e a seletividade no tratamento deste tema. A luta contra o terrorismo não pode ser utilizada como pretexto para a ingerência e o intervencionismo, a agressão, nem as violações do direito internacional e dos direitos humanos', afirmou 

A diplomata tambémpediu o fim do financiamento, equipamento, treinamento, fornecimento de armas e do apoio de todo o tipo a grupos extremistas que semeiam violência e destruição em muitas partes do planeta.

«Os chilenos solidarizam-se com a Revolução desde o dia do seu triunfo, ocorrido em 1º de janeiro de 1959», assegurou Leandro Lanfranco Leverton, que dirigiu no Chile, por vários anos, a comissão nacional para a conformação de brigadas solidárias a Cuba desde seu país.

Havana, 10 fev - A visão estratégica do líder da Revolução cubana, Fidel Castro (1916-1926), sua disposição ao sacrifício e vocação humanista foram recordados hoje na Feira Internacional do Livro de Havana, na jornada inaugural.

O colóquio Fidel, política e cultura serviu de palcos a pesquisadores e intelectuais para debater sobre a evolução do pensamento do dirigente revolucionário e como conseguiu refleti-lo nas suas ações.

Fidel desenhou um novo projeto baseado na insurreição armada popular e teve desde o início uma disposição ao sacrifício e inclusive, a entregar a vida em aras do processo revolucionário, destacou o pesquisador Mario Mencía.
 
Também afundou sobre a simbiosis pensamento-praxis nesse líder: exemplo disso é A História absolver-me-á, esse documento fundamental onde plasma seu pensamento resultou o primeiro programa antiimperialista que culminou com sucesso no dilatado processo de libertação em Cuba.

 

Ciego de Avila, Cuba, 10 fev - O carvão vegetal fabricado na região central de Cuba mantém hoje sua presença em mercados europeus devido a uma excelente qualidade e alto valor calórico e energético.

Florentino Delgado, diretor de comercialização do Ministério da Agricultura no território, assinalou o carvão se fabrica de forma artesanal em várias entidades dessa cidade, atividade que se efetua desde tempos remotos e não afeta ao meio ambiente.

Há 11 anos a província de Ciego de Avila exporta o combustível alternativo para nações como Itália, Espanha, França, Grécia, Portugal, Arabia Saudita, Reino Unido, Síria, Turquía e Israel, para onde se enviaram mais de 204 mil 300 toneladas.

O material energético obtém-se da madeira de marabú, planta invasora abundante nos campos cubanos, a qual impede o desenvolvimento de outros cultivos benéficos para o homem, disse.

A produção de carvão vegetal é uma alternativa que tem o país na busca de capital financeiro para cobrir alguns programas destinados à alimentação da população, indicou o servidor público.

 

 

Fonte - Prensa Latina

 

 

Esta estratégia constitui a principal plataforma de ação para a implementação dos objetivos estratégicos definidos na política ambiental nacional para enfrentar a perda da biodiversidade.

“Guantánamo ficou muito conhecida por sua prisão. Entretanto, dezenas de anos antes de sua criação, os Estados Unidos já ocupam o território cubano ilegalmente, como se fosse de seu próprio país”, a consulesa geral de Cuba, Nélida Hernández Carmona, durante a exibição do documentário Todo Guantánamo é Nosso (2016), do cineasta colombiano Hernando Calvo Ospina, sobre a invasão ilegal dos Estados Unidos, que acontece desde 1903.