A visão do líder histórico da Revolução Cubana, Fidel Castro e do Comandante, Hugo Chávez, está concretizada nas ações solidárias e de integração da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América.


dezembro 15

Cuba, mais uma vez, tornou-se a capital da integração da América Latina e do Caribe, num dia marcado pelas celebrações do décimo terceiro aniversário da ALBA-TCP, a celebração do 16º Conselho Político do bloco e o encerramento de uma reunião intergovernamental entre a maior ilha das Antilhas e a Venezuela.

Reforçar a unidade, além das diferenças que nos separam, para lutar por um futuro melhor para a região, foram os eixos dos três eventos.

O general-de-exército Raúl Castro Ruz, presidente dos Conselhos de Estado e Ministros, e Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, lideraram as celebrações, no Palácio das Convenções, na capital cubana, de outro aniversário. O surgimento da então Alternativa Bolivariana para os Povos da nossa América; hoje chamada de Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América-Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP).

A proposta nasceu por iniciativa do Comandante-em-chefe Fidel Castro e do líder venezuelano Hugo Chávez, como alternativa à Área de Livre Comércio para as Américas, proposta pelos Estados Unidos.

Entretanto,  realizou-se o décimo sexto Conselho Político do bloco, que contou com a presença de oito ministros, vários vice-ministros e secretários gerais, senadores e altos representantes dos países membros.

Durante a inauguração, o ministro das Relações Exteriores cubano, Bruno Rodríguez, disse que a base da reunião girou em torno da análise das mudanças na situação internacional, dos eventos meteorológicos que afetaram o Caribe e do aumento da investida da oligarquia e do imperialismo contra os processos progressistas.

«Da mesma forma, a ALBA continua ratificando os seus princípios e valores fundadores», acrescentou o ministro cubano das Relações Exteriores.

Bruno Rodríguez  referiu-se ao agravamento da guerra não convencional contra a Venezuela; no entanto, afirmou que a nação bolivariana continua avançando com o seu projeto e, nesse sentido, felicitou-a pelo triunfo nas últimas eleições municipais.

À tarde, foi aprovada uma Declaração Final que reuniu as posições concertadas sobre vários tópicos.

O terceiro desses eventos foi o encerramento da 28ª Reunião da Comissão Intergovernamental do Acordo de Cooperação Integral Cuba-Venezuela.

Durante a reunião, e com a presença de Rodrigo Malmierca, ministro do Comércio Exterior e do Investimento Estrangeiro, e Jorge Arreaza, ministro das Relações Exteriores da Venezuela, foi aprovado o Plano de Cooperação para o próximo ano, que compreende um total de 27 projetos agrupados em nove programas.

No encontro ratificou-se o compromisso dos países da região com a Proclamação da América Latina e do Caribe como Zona de Paz, adotada durante a 2ª Cúpula da Celac, realizada em Havana há três anos.

 

Fonte - Jornal Granma