Muitos milhares de estudantes, trabalhadores, camponeses, artistas, cientistas, soldados, veteranos, em suma, pessoas comuns da sociedade,  prestaram nesta sexta-feira noite homenagem a Fidel Castro na Plaza de la Revolución Mayor General Ignacio Agramonte Loynaz, um ano após o seu desaparecimento físico.

CAMAGÜEY - Muitos milhares de estudantes, trabalhadores, camponeses, artistas, cientistas, soldados, veteranos, em suma, pessoas comuns da sociedade,  prestaram nesta sexta-feira noite homenagem a Fidel Castro na Plaza de la Revolución Mayor General Ignacio Agramonte Loynaz, um ano após o seu desaparecimento físico.

Das 20:30 e até à madrugada de 2 de dezembro, a vigília político-cultural contou com a actuação da Orquestra Sinfónica, do Ballet Camagüey, da Banda Provincial de concertos, do Coro de Camagüey, do Ballet Folclórico de Camagüey e da orquestra Maravilha de Florida.

O seu diretor artístico, Fernando Medrano Vireya, declarou que o espectáculo denominado Fidel é Cuba, foi concebido em vários zonas, cada uma das quais recordou, através da dança, da música e da poesia, momentos inesquecíveis da nossa história, onde o Comandante em Chefe tinha um protagonismo especial.

Entre os grupos que expressaram a sua arte encontram-se também a empresa Camagua, o Ballet Contemporâneo de Camagüey, o grupo folclórico Rumbatá, o quinteto de cordas Santa Cecilia, o duo de Vozes e o conjunto Son Entero, que alternavan com solistas, trovadores, improvisadores e declamadores.

Expressões de gratidão e fidelidade sucederam-se durante a vigília, numa reafirmação dos homens e mulheres que aqui habitam, seguidores dignos do trabalho erguido por Fidel Castro.

 

Fonte - Jornal Granma