O Presidente do Conselho de Defesa Nacional , General Raul Castro presidiu na ultima quarta-feira a uma reunião com dirigentes do Partido, do Estado e do Governo, em que foram avaliados osdanos causados pelo furacão Irma, tendo definido as acções a desenvolver nesta etapa de recuperação.

Confirmou-se a evacuação de 738 mil pessoas, 86% das quais se abrigaram em casas de vizinhos e familiares, permanecendo ainda mais de 26 mil em centros de evacuação.

O ministro das Minas e Energia informou que o maior prejuízo e a situação mais difícil de solucionar se verificou na central termoeléctrica António Guiteras em Matanzas, cujo sistema de refrigeração com agua do mar ficou destruído pelas ondas. Verificaram-se avarias em 15 linhas de transmissão e em mais de 3 600 postes e 2mil e 39 km de linhas foram afectados pelo furacão, trabalhando-se dia e noite para restabelecer o serviço. Cerca de 90 poços de petróleo situados no litoral norte a ocidente e centro foram danificadas pela forte ondulação.

O ministro da Construção referiu o trabalho de recuperação com intervenção de 20 mil e 400 construtores e 855 máquinas de engenharia, destinadas à reparação de vias, pontes e esgotos, e ainda à reparação de casas e equipamentos sociais. Foi ainda referido que os maiores prejuízos se verificaram nas casas, sobretudo nos telhados. Apesar de ainda não estarem totalmente identificados todos os danos, as fabricas de cimento e de telhas encontram-se a produzir com a capacidade máxima, para satisfação das necessidades.

No sector da agricultura, o maior prejuízo verificou-se na área avícola, já que dezenas de aves destinadas à produção de ovos ficaram sem teto. Foram também afectados os cultivos de banana, milho e de frutas. Está-se entretanto a trabalhar na reactivação de varias culturas para os quais dispõem de sementes, fertilizantes e pesticidas.

No plano da saúde não se verifica até agora o aparecimento de doenças transmissíveis nem nos centros de evacuação nem em qualquer parte do território, tendo-se verificado danos em 516 unidades de saúde.

Finalmente, o Ministro do Turismo informou que, no momento do furacão havia cerca de 51mil turistas 45 mil alojados no litoral norte, tendo dez mil clientes sido evacuados dos Cayos Santa Maria, Coco e Guilhermo.

Estão a ser restabelecidas todas as estruturas ligadas ao turismo, assegurando-se que todas as instalações estarão recuperadas na primeira quinzena de Novembro, início da temporada alta.

O Presidente Raul Castro apelou à continuação do trabalho, a que os problemas sejam enfrentados com serenidade e que se mantenha a informação do população sobre a situação do país