Assinatura do Livro de Condolências

A Associação de Amizade Portugal-Cuba informa todos os sócios e amigos que a direcção irá hoje deslocar-se à Embaixada de Cuba em Portugal para assinar o Livro de Condolências pela morte do Comandante Fidel Castro, onde depositará uma coroa de flores.

Mais se informa que o Livro de Condolências poderá ser assinado por todos os que o pretendam fazer, entre as 9h e as 18h na Embaixada até ao dia 4 de Dezembro

A Direcção

Falecimento de Fidel Castro

Morreu Fidel Castro, um dos grandes homens do século XX, figura fundamental e incontornável da América Latina e do mundo. Relembrando todo o percurso de revolucionário e estadista de Fidel Castro, e no dia em que há sessenta anos, o jovem revolucionário partiu do México para com mais 81 companheiros, iniciar a luta de libertação do povo cubano, a Associação de Amizade Portugal Cuba expressa os seu profundo pesar ao povo de Cuba, ao Governo e ao Partido Comunista de Cuba e ao Presidente Raul Castro bem como à restante família de Fidel Castro. 

Homem de grande sensibilidade, humildade e sempre ligado ao seu Povo e à luta e emancipação dos povos. 

Incansável lutador, revolucionário, líder da Revolução Cubana, homem de convicções, Fidel ficará na História pela sua coerência, determinação, sentido de justiça e apego aos valores do progresso social, da paz, da solidariedade internacionalista e do socialismo.

O Comandante parte hoje, após uma vida inteira dedicada ao seu povo e à sua pátria, mas a sua principal obra, o seu principal legado permanece bem vivo: a Revolução Cubana, com as suas extraordinárias conquistas em áreas como a educação, a ciência, a saúde e no acesso à cultura, entre muitas outras; e o seu povo, de onde veio e ao qual sempre se manteve profundamente unido, povo que prossegue com coragem, determinação e assinalável capacidade criadora, o caminho da defesa da Pátria Cubana, resistindo aos mais poderosos ataques, nomeadamente o bloqueio económico dos EUA contra Cuba. 

Fidel Castro ficará na História como uma das personalidades mais marcantes do Século XX, não só pelo seu papel central na libertação de Cuba da terrível ditadura de Fulgêncio Batista, na condução da Revolução Cubana, mas também como um revolucionário que abraçou sempre as mais justas causas em defesa de todos os povos do Mundo e da Humanidade. A dedicação com que na recta final da sua vida se debruçou sobre questões como a paz ou o ambiente são disso exemplo, mas são sobretudo demonstradas na postura do Estado e do povo de Cuba face ao Mundo exemplo primeiro de solidariedade e de internacionalismo, em primeiro lugar para com todos os povos da América Latina, mas também com todos os povos do Mundo. 

Fidel parte no dia de hoje, mas os seus ideais, o seu pensamento e o projecto de uma sociedade socialista permanecem na acção e na luta de todos aqueles que não se conformam com um Mundo marcado cada vez mais pela ofensiva do imperialismo, pelas injustiças, pela guerra e pela degradação do ambiente. O pensamento de Fidel Castro é ainda hoje mais importante quando o Mundo vive numa grande instabilidade, quando os povos estão confrontados com os riscos de conflito de grandes proporções, quando páginas negras da História surgem novamente no horizonte – como o fascismo – e quando os povos da América Latina – cujos processos progressistas se inspiraram na revolução cubana - são novamente alvo de uma violenta contra-ofensiva imperialista visando os seus direitos e soberania.

Todos aqueles que prosseguem a luta contra as injustiças, pelo progresso, a solidariedade e a paz, viram hoje partir um grande amigo solidário! Mas esses, nos quais se inclui a Associação de Amizade Portugal Cuba, irão dar seguimento ao seu legado, honrando dessa forma a sua memória e percurso de vida inigualáveis.

Morreu o Homem, mantem-se o projecto.

A luta continua! Hasta Siempre Comandante! Venceremos!

 

A Direcção da

Associação de Amizade Portugal Cuba

 

 

 

 

 

  XVII Encontro Europeu de Solidariedade com Cuba

Nos passados dias 18 a 20 de Novembro a Associação de Amizade Portugal Cuba marcou presença no XVII Encontro Europeu de Solidariedade com Cuba, que se realizou em Estocolmo, na Suécia.

Participou neste encontro Sara Vargas, membro da Direcção Nacional da AAPC

Intervenção da AAPC ao Encontro Europeu de Solidariedade com Cuba

Médicos uruguaios formados em Cuba homenageiam Fidel Castro

Montevidéu, 27out - Com a exposição fotográfica Fidel e o valor da solidariedade, uruguaios formados na Escola Latino-Americana de Medicina (ELAM), de Havana, Cuba, prestaram homenagem ao líder histórico da Revolução Cubana. 
 
A mostra foi inaugurada ontem à noite na sede da embaixada da Venezuela em Montevidéu e reúne imagens de Fidel Castro durante a visita ao Uruguai em 1959 e em seu percurso por terras orientais cubanas em outubro de 1963 quando da passagem do ciclone Flora. 

Também, em gesto muito simbólico, são exibidas fotos de jovens graduados na ELAM, que cumpriram missões internacionalistas em diversas partes do mundo como na África, Haiti e América Latina. 

Valeria Machado, em nome dos graduados, assinalou que fazer um relato das contribuição de Fidel ao longo de sua vida 'obriga a realizar um exercício profundo e sério da história contemporânea' que abrange todos os âmbitos.

Destacou que sem ele os povos da África nunca teriam conhecido um médico ou um educador, e outros não teriam a ajuda em suas lutas independentistas. A jovem médica, graduada em 2009, destacou que sem Fidel Castro muitos países da América Latina não 'teriam recuperado sua dignidade e nunca teriam uma pátria na qual sonhar, pela qual lutar e na qual se atrever a construir'.

Solidariedade com a Revolução Cubana

A administração Obama, emitiu uma diretiva com medidas que visa dar continuidade à mudança de política iniciada em 2014.

Sobre as medidas em concreto já muito se disse e, podem as mesmas ser seguidas em documentos divulgados na nossa página do facebook ou no “sítio” da nossa Associação.

Não podemos contudo deixar de notar que as ditas medidas não passam de tiros de pólvora seca se tivermos como termo de comparação o enorme prejuízo que o Bloqueio tem causado ao Povo Cubano.

Na verdade, nenhuma das medidas apontadas tem reflexo minimamente significativo para o desenvolvimento económico, financeiro, cultural e social de Cuba e do seu Povo.

Aliás, o próprio documento refere que o Bloqueio se mantem em todas as suas vertentes.

Compreendemos que qualquer alteração aos fundamentos do Bloqueio seja tido como positivo pelas autoridades Cubanas mas não podemos deixar de notar a hipocrisia que o mesmo encerra quando refere por um lado o reconhecimento do Estado Cubano e o de não ingerência nos assuntos internos para logo de seguida referir que relações comerciais só com empresas privadas excluindo o Estado Cubano de qualquer participação em negociações.

Os bancos continuam a não poder transacionar com Cuba, Cuba continua a não poder utilizar o Dólar. A marinha mercante já pode acostar a portos Cubanos sem sofrer a penalização de estar 180 dias sem poder acostar a portos Norte Americanos só que a lista de produtos impedidos é de tal forma que não se vislumbra qualquer desbloqueio, sobre Guantanamo nem uma palavra!

Ninguém melhor que o Povo Cubano e o seu governo sabe como conduzir este processo e o que melhor serve os seus interesses e, convenhamos, da mesma forma ninguém tem melhor sensibilidade sobre o cariz da política Norte Americana e dos efeitos desta.

Temos de reconhecer que a situação atual não é a mesma do que antes do restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois estados, é um facto, mas também é verdade que conhecemos os bloqueios existentes no congresso americano com vista a criar dificuldades ao desenvolvimento positivo desta nova fase na história destas duas nações.

Sabemos isso sim é dado factual, que a agressiva politica dos Estados Unidos da América, tem semeado a guerra e alimentado conspirações com o objetivo de criar a desordem e a anarquia em estados soberanos quer seja por interesses políticos quer seja por interesses económicos e não é espectável que essa realidade se venha a alterar no futuro tendo em conta o que se conhece dos candidatos que se apresentam às próximas eleições presidenciais.

Impõem-se por isso, uma luta constante por parte de todos quantos lutam pela paz e, essa luta passe indubitavelmente pela solidariedade.

É nosso entendimento que o Bloqueio está longe de acabar e por isso a luta pelo seu fim deve-se impor com toda a nossa determinação.

Ser solidário com a Revolução Cubana é dar força à luta pela soberania dos povos, contra a agressão sistemática do imperialismo é lutar pela Paz.

Cuba Vencerá

24 de Outubro de 2016

A Direcção da AAPC

 

 

Faixas pelo Fim ao Bloqueio a Cuba em Lisboa.

Nos viadutos e não só das principais vias de entrada em Lisboa foram ontem colocadas as faixas pelo Fim ao Bloqueio a Cuba.

No próximo dia 26 de Outubro, Cuba vai mais uma vez apresentar na Assembleia das Nações Unidas uma resolução contra o Bloqueio de que é alvo por parte dos EUA.

...

A Associação de Amizade Portugal Cuba (Direcção Nacional) e os seus Núcleos irão colocar faixas contra o bloqueio em diversas cidades portuguesas.

 

Iniciativa contra o Bloqueio a Cuba

No próximo dia 24 de Outubro, segunda-feira, terá lugar uma sessão pública na Casa do Alentejo, às 18h, pelo fim do Bloqueio a Cuba.

Infelizmente, por razões alheias à nossa Associação, o Ramón Labañino não estará presente.

Contaremos com a presença da Embaixadora de Cuba em Portugal, Johana Tabalda, e do jornalista de política internacional, José Goulão.

Esperemos contar também com a tua presença.

No próximo dia 26 de Outubro, Cuba vai mais uma vez apresentar na Assembleia das Nações Unidas uma resolução contra o Bloqueio de que é alvo por parte dos EUA.

A Associação de Amizade Portugal Cuba (Sede Lisboa) e os seus Núcleos irão colocar faixas contra o bloqueio em diversas cidades portuguesas.

Em Santarém já foram colocadas duas faixas, uma no Jardim da Liberdade próximo da Rodoviária e a outra junto da Segurança Social.

Núcleo de Santarém da AAPC