Intervenção de Marta Pereira

Porto Com Cuba

Intervenção de Armanda Fonseca

Presidente da Assembleia Geral da AAPC

A situação internacional e Cuba

Intervenção de Abertura do Encontro Nacional de Solidariedade com Cuba

Augusto Fidalgo, Presidente da Associação de Amizade Portugal Cuba

 

58ª Aniversário da Revolução Cubana

VITÓRIA DA REVOLUÇÃO

1 JAN. 1959 / 1 JAN.2017

58 ANOS DE LUTA HEROICA

 

Associação de Amizade Portugal Cuba, saúda calorosamente o 58º aniversário da vitória da Revolução Cubana contra a tirania a que o Povo Cubano estava sujeito.

Os exemplos heróicos dos revolucionários comandados pelo seu comandante Fidel Castro que transmitiram ao seu Povo e ao Mundo que é possível, lutando convictamente por ideais nobres conquistar o caminho da Independência da Soberania e da Liberdade.

Exemplos que até aos dias de hoje se tornaram numa referência para a luta e que transmitem confiança para todos quantos lutam pela Paz e a Democracia e que traga aos povos a justiça de uma vida digna continuando e intensificando esse combate.

Revolução é amor e para essa conquista é necessário que todos assumamos a nossa responsabilidade nesta batalha.

 

Viva a solidariedade Internacionalista!

Viva a Revolução Cubana! 

Cuba Vencerá!

 

A Associação de Amizade Portugal Cuba convida todos os seus sócios e amigos a estarem presentes nos dois grandes eventos que vamos concretizar neste mês de Janeiro:

 

Dia 21 o Encontro Nacional de Solidariedade com a Revolução Cubana.

Fórum Romeu Correia em Almada (onde estará patente uma exposição de fotografia de Fidel de Castro)

Dia 27 GRANDE FESTA comemorativa da vitória da Revolução e tributo a Fidel Castro – jantar, musica, passatempos e intervenção política onde estarão presentes vários embaixadores e outras entidades.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Associação de Amizade Portugal Cuba deseja a todos os seus associados e amigos de Cuba, os votos de Boas Festas e de um Próspero Ano Novo.

 

 

O semanário “Expresso” protagonizou na passada sexta-feira mais uma provocação contra Cuba, a sua soberania e legítima ordem constitucional, assente numa despudorada manipulação de factos.

Uma manipulação e provocação que irresponsavelmente o PSD levou hoje à Assembleia da República.

A Embaixada de Cuba em Portugal já se pronunciou sobre a falsa versão dos factos acerca de uma suposta detenção de jornalistas portugueses, afirmando que tal versão é, desde logo, contrariada pelos factos relatados pelos dois jornalistas da SIC que estavam com a autora da peça de manipulação do Expresso e que a acompanhavam naquele dia, e que nessa madrugada do dia 4 os jornalistas só foram objecto de um controlo de documentos na via pública quando estavam a caminho de um evento em que não podiam entrar.

Sobre o que de facto aconteceu em Cuba a Associação de Amizade Portugal Cuba (AAPC) sublinha que:

1 - Os jornalistas portugueses visados – que viajaram para Cuba com vistos turísticos, por nunca terem levantado os vistos de jornalista, e que se deslocaram num veículo com um motorista sem licença para tal – desrespeitaram, no último dia das cerimónias fúnebres, as regras previamente estabelecidas e violaram o perímetro de segurança de uma cerimónia que sabiam ser privada, familiar e vedada ao público.

2 - A cerimónia onde foram impedidos de participar foi a única cerimónia privada de toda uma semana de cerimónias públicas, sendo aliás do conhecimento geral que nenhum outro órgão de comunicação social ou jornalista, além dos visados, teve qualquer dificuldade em acompanhar todas as cerimónias abertas ao público e à imprensa.

A AAPC condena este acto de manipulação política, assente em mentiras, tão mais grave quanto desenvolvida em torno das cerimónias fúnebres e do luto do povo cubano pela perda do líder histórico da Revolução cubana.

A AAPC reitera a sua solidariedade ao povo de Cuba, país livre e soberano, em luto, mas em luta pela defesa da sua soberania, independência, e pelos direitos e conquistas alcançadas pelo seu processo revolucionário, com respeito pela dignidade humana, a liberdade e os direitos humanos.

AAPC

 

Acordo de Diálogo Político e Cooperação da União Europeia com Cuba

O Conselho da União Europeia aprovou na passada terça-feira dia 6, o texto do Acordo de Diálogo Político e Cooperação da União Europeia com Cuba que terá ainda de ser sujeito à aprovação do Parlamento Europeu e do Conselho Europeu e a um processo de ratificação pelos 28 Estados membro da União Europeia.

A Assinatura deste Acordo pelo Ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodriguez, e pela Alta Representante para a Política Externa e de Segurança da UE, Federica Mogherini, no dia de ontem em Bruxelas, representa um desenvolvimento positivo e um importante passo para a derrota da inaceitável Posição Comum da União Europeia.

A decisão foi acolhida pelo Governo Cubano com grande satisfação e regozijo e salientada a importância politica desta atitude por parte da EU tendo em vista a possibilidade do aprofundamento dos laços de amizade e das relações bilaterais entre Cuba e os Estados membro da União Europeia.

A Associação de Amizade Portugal Cuba, congratula-se com esta nova etapa que agora se inicia e sublinha que quer o conteúdo final, quer a aplicação do Acordo de Dialogo Politico e Cooperação deve por termo definitivo à inqualificável designada “posição comum” que afetou significativamente a vida do povo Cubano e representava uma ingerência inadmissível na politica de Cuba.

A AAPC considera que esta alteração no quadro das relações entre a União Europeia e Cuba representa uma importante vitória do povo, do Governo e da diplomacia cubana.

Cuba Vencerá!

A Direcção da Associação Amizade Portugal-Cuba deslocou-se à Embaixada para assinar livro de condolência e deixar uma coroa de cravos vermelhos, símbolo da Revolução e da Liberdade.