O bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelo governo dos Estados Unidos a Cuba continua em vigor, tendo sido aprovadas pela Administração Trump novas medidas.

Estas afectam não só só o povo cubano mas também os cidadãos e entidades dos EUA, limitadas no seu direito de viajarem livremente e de realizarem transações comerciais com Cuba.

O bloqueio causou prejuízos no valor total de 1.705.960.000 dólares, não contando o que é incomensurável, ou seja, o sofrimento de crianças e adultos a nível
alimentação e saúde.

A título exemplificativo refira-se que há crianças, doentes de cancro que não podem adquirir medicamentos nos EUA, obrigando o Estado Cubano a adquirir sucedâneos em países distantes, com acréscimo de custos.

Desde a última votação na Assembleia Geral da ONU, bloqueio causou prejuízos, no campo da alimentação, no valor de 347 598.000 dólares, 87.000.000 de dólares na saúde pública, na cultura foram 35.314.000, na energia e minas de 122.584.708, enquanto o prejuízo nos transportes foi de 122.397.000 dólares.

Ainda agora, as associações solidárias com Cuba estão com problemas em efectuar transferências bancárias solidárias, para reparação dos danos causados pelo recente ciclone, embora em contas sediadas em bancos europeus, o que demonstra a natureza extraterritorial deste bloqueio.

O bloqueio constitui uma violação dos direitos humanos da população cubana, integra o crime de genocídio, viola as convenções internacionais e tem sido sucessivamente condenado pela Assembleia Geral da ONU, por grande maioria.

A Associação de Amizade Portugal Cuba, repudia o bloqueio e exige que este seja levantado de imediato!

Cuba Vencerá!
Out./2017