NOTA DE IMPRENSA DA ASSOCIAÇÃO DE AMIZADE PORTUGAL CUBA

Sobre a presença de Guilhermo Fariñas em Portugal

 

Face à presença em Portugal do Sr. Guillermo Fariñas em Portugal nos dias 10 e 11 de Dezembro, a convite do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal, a Associação de Amizade Portugal Cuba considera que:

 

1 – O convite do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal ao Sr. Fariñas constituiu uma vergonhosa provocação ao Estado e ao povo de Cuba, como o constituiu aliás a cínica atribuição do Prémio Sakarov a um cidadão cubano que protagoniza e apoia algumas das mais insidiosas manobras de difamação da realidade cubana e de tentativa de desestabilização interna e ingerência nos assuntos de Cuba.

2 – O Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal deve cingir-se às actividades de representação daquela instituição em Portugal e não tentar interferir, por via de actividades de evidente natureza provocatória e de propaganda ideológica, no relacionamento entre Portugal e outros Estados soberanos, neste caso a República de Cuba.

3 – A decisão do Gabinete do PE em Portugal usurpa aquelas que são as suas funções institucionais de representação de uma instituição europeia como o Parlamento Europeu, contrariando de forma explicita e despudorada o conteúdo e sentido das negociações em curso com vista à normalização das relações entre a União Europeia e Cuba.

4 – Qualquer justificação que possa ser apresentada para este convite, nomeadamente o facto de ser realizado no âmbito da rede do Prémio Sakarov, não iliba o Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal de convidar e promover publicamente um cidadão cubano que, sendo pago directamente por agências como a USAID, age contra o seu próprio povo estimulando de variadas formas processos e manobras de desestabilização e ingerência externa contra Cuba, defendendo abertamente o bloqueio económico contra Cuba, que acaba mais uma vez de ser rejeitado pela Assembleia Geral das Nações Unidas numa votação esmagadora e opondo-se publicamente aos diálogos entre Cuba e os EUA, assim como com a União Europeia.

5 – Considera que os diferentes órgãos de soberania nacional, nomeadamente a Assembleia da República devem, no respeito pela Constituição da República Portuguesa, abster-se de receber e dar espaço institucional ao Sr. Fariñas, pelo que isso representaria de afronta institucional à República de Cuba e de retrocesso nos processos de aproximação diplomática que têm tido lugar.

6 – Deplora o tratamento mediático dado à presença do Sr. Fariñas em Portugal, sendo este apresentando como um "defensor dos direitos humanos" quando na realidade este cidadão cubano (que, note-se, viaja livremente pelo Mundo a soldo de estruturas ligadas ao Governo dos EUA, à extrema direita norte-americana e, neste caso, de estruturas ligadas à União Europeia) foi condenado pela justiça cubana pela prática de ofensas físicas a seus concidadãos; tem ligações a grupos de criminosos de Miami responsáveis por várias tentativas de atentados terroristas contra Cuba e que inclusive, numa recente deslocação a Miami e ao Panama se fez fotografar junto a Possada Carriles - reconhecido terrorista procurado internacionalmente, confesso autor moral de vários atentados terroristas contra o povo e dirigentes cubanos, nomeadamente o atentado terrorista a um avião da companhia aérea Cubana que vitimou 73 pessoas ou a tentativa de assassinato de Fidel Castro.

7 – Exorta os deputados portugueses no Parlamento Europeu a distanciarem-se de uma iniciativa que insiste na tentativa de promover figuras sinistras como a do Sr. Fariñas e o mito dos presos políticos em Cuba, desmentido recentemente pelo próprio Cardeal de Havana quando da recente visita do papa Francisco a Cuba.

8 – Convida todos aqueles que desejarem debater de forma séria e documentada a realidade cubana, nomeadamente o tema dos direitos humanos em Cuba, a participar nas acções previstas para o dia de hoje, já previamente anunciadas, e que se realizarão às 19:00 no Liceu Camões, em Lisboa e no Porto às 18:30 na Universidade Popular do Porto, organizadas pela Associação de Amizade Portugal Cuba e pela Porto Com Cuba, respectivamente.