ENCONTRO HISTÓRICO ENTRE O PAPA FRANCISCO E O PATRIARCA CIRILO I

No passado dia 12 de Fevereiro encontraram-se em Cuba o Papa Francisco e o Patriarca da Igreja Ortodoxa de Moscovo e de toda a Rússia, Cirilo I.

A Associação de Amizade Portugal Cuba, valorizando o significado histórico e a importância do primeiro encontro entre os dois representantes máximos das igrejas Apostólica Romana e Ortodoxa, não pode também deixar de assinalar o alto significado da escolha de Cuba para a realização deste histórico encontro.

 

Tal decisão dos dois líderes religiosos não pode deixar de ser entendida como um importante reconhecimento do papel que Cuba tem desempenhado na luta pela paz, pela tolerância e pela cooperação entre os povos, bem como na solidariedade concreta prestada aos povos de inúmeros países e na ajuda aos mais necessitados quer na América Latina quer por outros locais no mundo onde se registaram calamidades e epidemias.

O encontro que se acaba de realizar, bem como o conteúdo das declarações públicas proferidas no quadro da sua realização, é a confirmação de que, ao contrário da propaganda que contra aquele país é arremessada, Cuba não é um Estado isolado internacionalmente. Pelo contrário, este encontro confirma Cuba desenvolve um muito amplo e diversificado leque de relações internacionais e se afirma internacionalmente não pela via do poder económico ou das armas mas sim pela opção humanista, respeitadora dos direitos humanos e do direito internacional e solidária da sua política externa, apesar deste Estado ser vítima de continuas agressões e conspirações contra a sua soberania e de um injusto e criminoso bloqueio económico há mais de meio século.

O Encontro entre os dois líderes religiosos foi um importante momento para a promoção da tolerância, convivência pacífica e paz, princípios que a AAPC defende a par com a luta contra os extremismos religiosos, incentivados pelas grandes potências imperialistas, que apenas servem interesses dos poderosos.

O reconhecimento de que Cuba foi alvo com a realização deste encontro é mais uma prova do exemplo positivo que Cuba representa num Mundo marcado por uma grande instabilidade e insegurança, exemplo que é indissociável do carácter da revolução socialista cubana.

Tal facto constitui para a AAPC um motivo de orgulho e de acrescida motivação para continuar e fortalecer a solidariedade do povo português com Cuba, o seu Povo e a sua Revolução.

Lisboa, 17 de Fevereiro de 2016