Notas sobre as Brigadas José Martí

As Brigadas Internacionais de Trabalho Voluntário

Uma forma efetiva de exercer a solidariedade com Cuba

 

1. Breve História

As Brigadas Internacionais de Trabalho Voluntário têm constituído, ao longo dos anos, um dos expoentes de solidariedade dos vários povos do mundo com o povo cubano.

A primeira experiência foi realizada em 1969 com a Brigada «Venceremos», proveniente dos E.U.A. para apoiar a safra açucareira desse ano. De então para cá, novas Brigadas das diversas regiões do mundo têm sido constituídas: é o caso, por exemplo da Brigada «Nórdica», em 1970, da Brigada Europeia «José Marti» em 1973, da Brigada da África do Sul em 1996 e, em 1997, da Brigada «Pablo de la Torriente Brau» constituída pelos países da Europa Oriental. Hoje atingem já os milhares as pessoas que visitaram Cuba para deste modo manifestar o seu apoio ao processo revolucionário cubano.

Portugal integrou pela primeira vez a Brigada Europeia «José Marti» em 1977, após a Revolução de Abril (25 de Abril de 1974). Desde então, todos os anos têm partido para Cuba, a fim de dar o seu contributo de solidariedade, grupos de portugueses das mais variadas idades.

2. Organização de uma Brigada

Em Portugal, a Brigada «José Marti» (no seu contingente português) é organizada pela Associação de Amizade Portugal-Cuba (AAPC) a partir de uma proposta apresentada pelo Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP), na qual são estabelecidas as datas, tempo de permanência e programa. Esta instituição (ICAP) tem a seu cargo a organização das Brigadas Internacionais de Trabalho Voluntário, sendo esta uma das suas tarefas prioritárias.

As Brigadas constituem uma forma concreta e efetiva de manifestar solidariedade com o povo cubano e, ao mesmo tempo, conhecer mais diretamente o seu processo revolucionário, a sua história, cultura, tradições e conquistas sociais, bem como as dificuldades que a Ilha atravessa. É pois importante sublinhar que as Brigadas não constituem uma outra maneira de fazer turismo.

A experiência de participação nas Brigadas tem contribuído para uma maior aproximação a Cuba por parte de muitos jovens de todo o mundo. De facto, muitos dos ativistas e dirigentes das instituições de solidariedade com Cuba foram, numa ou noutra ocasião, membros das Brigadas.

3. Notas sobre o Programa da Brigada

Nas Brigadas, as jornadas de trabalho são intercaladas com conferências sobre temas da atualidade cubana, visitas a lugares de interesse histórico-social e a unidades produtivas ou de assistência, encontros com a população de bairros e comunidades. Todas estas atividades permitem aos brigadistas ter um conhecimento direto das conquistas alcançadas pela Revolução, da forma como está organizada a sociedade cubana, do financiamento das suas instituições e também das limitações causadas pelo bloqueio dos E.U.A.

As atividades produtivas destinam-se fundamentalmente a apoiar o trabalho no campo, na produção alimentar para o acampamento. Para este trabalho aconselha-se aos brigadistas que levem roupa velha, luvas e chapéu.

Nestas Brigadas participam pessoas de diferentes idades, pelo que não são estabelecidas metas de produção individuais. No fim da Brigada é comunicado o resultado do trabalho coletivo.

4. Condições de permanência da Brigada

O local de permanência das Brigadas é o Acampamento Internacional “Júlio António Mella” (CIJAM), localizado no Município de Caimito, na província de Havana, a cerca de 40km da capital. Está equipado com dormitórios em alvenaria, com camaratas de 6 lugares para alojamento dos brigadistas e com capacidade total para 300 pessoas. Dispõe ainda de ventoinhas.

Clima de Cuba:

O clima de Cuba é tropical, com temperaturas elevadas. Julho é uma época de chuva precedida de fortes trovoadas e relâmpagos. Nestes períodos de chuva, normalmente à tarde, deverá estar-se abrigado. Convém levar impermeável.

Saúde/medicamentos:

Os cuidados de saúde são assegurados por um médico e uma enfermeira em regime permanente e, se necessário, todos os tratamentos de urgência. No entanto, agora é obrigatório o seguro de viagem.

Cada brigadista deverá levar todos os medicamentos que toma habitualmente e ainda se informa que os medicamentos devem ser transportados, no avião, na bagagem de mão.

Câmbio de moeda:

A moeda aceite é o euro que é cambiada pela moeda cubana convertível – CUC, cujo valor é idêntico ao euro.

À chegada ao aeroporto deverá cambiar-se o dinheiro necessário para o pagamento da estadia no acampamento. Posteriormente será possível cambiar mais moeda nas casas de câmbio. Ainda à chegada ao aeroporto é preciso ter cuidado nas caixas que trocam a moeda porque, normalmente, há muita confusão.

Comunicação telefónica internacional:

A utilização do telemóvel é muito caro. Pode ser utilizada uma tarjeta à venda no acampamento.

Para apoio aos brigadistas, o acampamento dispõe ainda de:

-um bar-cafetaria “La Piragua” com bebidas, refrescos e sumos naturais;

-uma loja onde os brigadistas poderão adquirir artigos de primeira necessidade, souvenirs, etc.

Todas as deslocações no âmbito do Programa da Brigada são asseguradas pelo ICAP.

Como parte complementar das atividades produtivas, conferências e visitas, o Acampamento organiza atividades culturais, recreativas e desportivas, para as quais dispõe das instalações necessárias (pista de dança, terrenos desportivos, etc.). Encontra-se em fase de construção uma Biblioteca e uma Sala de Leitura.

5. Outros aspetos de interesse

Deve estar no espírito de cada brigadista o cumprimento das atividades do programa previamente elaborado pelo ICAP. Não obstante, é facilitada, na medida das possibilidades e circunstâncias específicas de cada momento, a realização de atividades opcionais a pedido de grupos brigadistas.

O ICAP, ao organizar uma Brigada, incorre em gastos (alimentação, deslocações internas, alojamento, etc.) os quais não pode assumir com os seus próprios meios. Assim, a quota de contribuição dos brigadistas para os dias de permanência da Brigada é de CUC 450 (não inclui as visitas opcionais).

Nota importante extra programa:

Os brigadistas podem optar por permanecer em Cuba além da data inscrita no programa.

Sendo este o caso podem ficar em Havana sendo da sua responsabilidade encontrar alojamento, situação essa fácil de conseguir bastando para tanto consultar o responsável do acampamento.

A data pretendida para o regresso dos Brigadistas que pretendam prolongar a sua estadia em Cuba, tem obrigatoriamente de ser comunicada à AAPC no momento da sua inscrição para se acautelar o regresso na data pretendida. (neste caso o custo total pode sofrer alteração dependendo das tarifas aéreas do momento)

Sobre a Bagagem:

A bagagem a transportar tem de obedecer ao estabelecido pelas normas dos aeroportos e das companhias aéreas. O que atualmente vigora é:

1 Mala de porão até 23 Kg

1 Mala pessoal até 8 kg.

Quem pretenda levar bens para solidariedade, estes devem ser encaminhados através do acampamento para o ICAP.

Quem pretenda fazer entrega de bens a instituições com quem anteriormente já tenha uma relação de solidariedade, neste caso é de sua inteira responsabilidade.

 

 

INSCRIÇÕES ATÉ 2 DE MAIO DE 2016

 

Datas e horários

Horários locais

Saída 03 de Julho Lisboa/Madrid 11:30hs   »  chegada a Madrid 13:45h

Saída 03 de Julho Madrid/Havana 15:00hs  »  chegada a Havana 18:45h

REGRESSO:

Saída 23 de Julho Havana/Madrid 21:00h   »   chegada a Madrid 12:20h do dia 24 de Julho

Saída de Madrid/Lisboa 14:45h                   »   chegada a Lisboa 15:00h do dia 24 de Julho

 

Companhia aérea

Air Europa

Atrasos imprevistos correm por conta da própria companhia aérea.

Refeições a bordo incluídas.

Bebidas extras não incluídas.

 

Custo da viagem e forma de pagamento

1.200 € Inclui custo do seguro + custo do visto

500 € Com a inscrição

700 € A liquidar até 10 de Maio

450 CUC a pagar em Cuba referente à estadia. (neste momento o equivalente 405 € aproximadamente)

 

Hora de concentração no aeroporto 08:30 h (cais das partidas - porta junto aos táxis)

Convém não descorar o horário uma vez que o check-in por motivos do conhecimento geral, é mais demorado

(as mesmas 3 horas devem ser respeitadas em Havana)

 

No local será feita uma reunião para esclarecimentos de dúvidas e alguns aconselhamentos.

Solidariedade

Quem pretenda levar bens para solidariedade, informamos que existe grande necessidade de material escolar e roupas e utensílios para bebés, que deverão ser entregues ao ICAP.

Caros companheiros e amigos, estaremos sempre disponíveis para qualquer esclarecimento suplementar que pode ser solicitado através dos contactos já divulgados.

 

As nossas saudações.

A comissão