Num dia como hoje, há 59 anos, era o triunfo da luta revolucionária contra a tirania corrupta de Fulgêncio Baptista, enfeudada ao imperialismo norte-americano.

O povo acolheu com carinho, entusiasmo e esperança aquele grupo de homens que apenas três anos antes tinha desembarcado, vindo do México, reunido em torno de um homem que lhes propunha acabar com a miséria endémica de Cuba.

Esta revolução triunfante, inspirada no ideário de José Martí e consignada no programa de Moncada (defesa de Fidel Castro em tribunal) alterou a realidade da sociedade cubana, com descriminação racial, grandes empresas com capital norte-americano e grandes latifundiários nacionais e estrangeiros.

Como prometido, a terra foi entregue aos camponeses e trabalhadores rurais, os recursos naturais e as indústrias foram nacionalizadas logo que começaram a tentar sabotar a revolução.

O analfabetismo foi eliminado num ano apenas com a colaboração de jovens voluntários que partiram para o interior do país, a alfabetizar a população.

Em 1961 o povo armado, frustrou uma tentativa de invasão em apenas 72 horas, mas seguiram-se anos de terrorismo no interior e no exterior de Cuba, causando mortos e mutilados, mas a revolução resistiu.

Mesmo no período especial, com as enormes dificuldades causadas pelo bloqueio, com graves problemas no fornecimento de energia, Cuba resistiu e estendeu a sua solidariedade à Nicarágua, Republica Bolivariana da Venezuela, Argélia, Síria (1973-1975) , Granada e Angola, além de ter dado um decisivo contributo para o
fim do apartheid.

Mesmo nas suas difíceis condições, agora agravadas pelas medidas recentes do Presidente dos EUA, não deixou de ter uma educação gratuita de excelência, desde a pré primária até ao doutoramento, saúde e garantia do acesso universal à cultura.

Mas outra efeméride se assinala este ano, o 150o aniversário da luta de independência e que Fidel considerava o verdadeiro início da luta de libertação.

Em 1868, um grupo de proprietários de terras, liberais, partidários da independência, conspira pela independência de Cuba.

Descoberta a conspiração, o seu líder, Carlos Manuel de Céspedes, antecipa a sublevação para 10 de Outubro de 1868, declarando a liberdade dos seus escravos. Foi o início da guerra dos dez anos.

Este foi o início das três guerras que levaram à independência de Cuba, tremendas guerras, em que os cubanos chegaram a enfrentar 300.000 combatentes espanhóis.


CUBA VENCERÁ!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VOTOS DE UM ANO 2018 PLENO DE VICTÓRIAS PARA OS TRABALHADORES E PARA O POVO

Caros Companheiros

Caros amigos

A Associação de Amizade Portugal Cuba saúda os Companheiros, Amigos e todos quantos nos acompanharam e incentivaram para dar continuidade ao nosso trabalho, em prol do apoio solidário à Revolução Cubana.

Chegamos ao termo de um ano repleto de lutas, de importantes iniciativas internacionais, como é exemplo a nossa participação no Encontro de Solidariedade com a Revolução Cubana realizado em Estocolmo, a nossa presença em Sochi, na Rússia, no 19º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes e, recentemente, já no mês de Novembro, em Bruxelas, numa iniciativa do GUE/NGL e da Associação Cubanismo. Também realizámos e participámos em importantes eventos a nível nacional, promovidos quer pela Associação de Amizade Portugal-Cuba quer por outras Associações, sempre no espírito de solidariedade internacionalista.

Não podemos deixar de mencionar a Campanha de Solidariedade com Cuba que temos em curso, iniciativa modesta, que reflete de forma efectiva a nossa vontade e determinação em prestar a ajuda solidária para com o Povo Cubano, devido ao furacão IRMA que devastou muitas infraestruturas, entre tantas outras consequências, que já contou com a participação de vários companheiros e amigos.

Assumimos assim o compromisso de continuarmos a lutar com toda a nossa convicção, de que a vitória dos povos, mais cedo ou mais tarde, sairá vencedora desta luta sem quartel e tão desigual.

Foi o ano em que mais uma vez o Imperialismo Americano saiu derrotado, após o voto esmagador pelo fim do criminoso Bloqueio a Cuba que tantos sacrifícios tem custado ao Povo Cubano.

A Luta pela Paz contra a corrida armamentista, pelo direito à soberania dos povos, pela Democracia e em defesa dos direitos dos povos a uma vida digna, é hoje uma prioridade de todos os amantes da Paz.

O nosso voto é pela Paz no Mundo.

A Associação de amizade Portugal Cuba deseja a todos os amigos e companheiros um ano de 2018 repleto de Lutas vitoriosas.

Viva a Solidariedade Internacionalista,

Cuba Vencerá!

 

A Direcção

 

Mais de 4 milhões de pessoas sem recursos de 34 países foram operadas gratuitamente aos olhos, graças ao programa Cubano-Venezuelano “Operação Milagre”?

Cuba tem 48.000 cooperantes sanitários em 66 países do Sul o que constitui um número superior aos cooperantes de todos os países mais ricos?

Apenas na Venezuela,a cooperação cubana salvou um milhão e meio de vidas em 12 anos?

A Brigada médica cubana Henry Reeve foi premiada pela OMS, em 2017, depois de atender mais de 3 milhões e meio de pessoas de 21 países?

Quando da epidemia de ébola, o Secretário-Geral da ONU pediu à França, Grã.Bretanha, EUA o envio de médicos para áfrica e sómente Cuba enviou 256 médicos?

 

 

Cuba e Venezuela assinaram em Havana o Plano Anual de Cooperação para 2018, com 27 novos projectos e 9 programas de intercâmbio em matéria de serviços sanitários e de natureza cultural.

 

European Days of Action- END THE BLOCKADE

Intervenção de Pedro Noronha

Vice Presidente da AAPC

Bruxelas, 29-30 de Novembro de 2017

European Days of Action- END THE BLOCKADE

Parlamento Europeu

Associação de Amizade Portugal-Cuba

Companheiros,

A Associação de Amizade Portugal Cuba, saúda esta iniciativa, congratula-se pelo apoio do GUE/ NGL e da Associação Cubanismo e reconhece a oportunidade de, no plano político, reforçar os elos de solidariedade com Cuba. Regozijamo-nos com o facto de estarem presentes tantas organizações que lutam pela paz e em defesa da soberania dos Povos e particularmente pela solidariedade prestada à República de Cuba e ao seu heróico Povo que resiste a um ignóbil Bloqueio há quase 60 anos.

Com o derrube do regime fascista que durante meio século oprimiu o país, Portugal renasceu com a Revolução de Abril de 1974 e multiplicaram-se os movimentos democráticos e populares.

Neste contexto nasceu a Associação de Amizade Portugal-Cuba.

 

A Associação de Amizade Portugal Cuba esteve representada em Bruxelas numa iniciativa levada a efeito pela Associação Cubanismo (Bélgica) e pelo GUE, (grupo de esquerda no Parlamento Europeu) nos dias 29 e 30 de Novembro.

Esta iniciativa, onde participaram mais de 50 Delegações, teve o propósito de exigir o fim ao Bloqueio imposto pelos E.U.A. a Cuba há cerca de 60 anos.

A nossa Delegação foi composta pelo Companheiro Pedro Noronha, Vice Presidente da nossa Associação e pela Companheira Paula Frazão.

No Parlamento, os elementos da Associação de Amizade Portugal Cuba foram recebidos pelo membro representante do PCP, Paulo Costa.

Além de termos participado num grupo de Análise onde fizemos uma intervenção, participamos numa acção de rua junto ao Parlamento.

O nosso abraço fraterno aos companheiros que levaram a bom porto mais esta tarefa.

Viva a Solidariedade Internacionalista,

Cuba Vencerá.

 

Tributo a Fidel Castro

25.11.2017 - 15:30h

Escola Profissional Bento de Jesus Caraça

Intervenção de Augusto Fidalgo

Presidente da Direcção Nacional da AAPC